O que devemos fazer?

O médico (urologista-nefrologista infantil ou pediatra) é a pessoa mais indicada para o orientar sobre as medidas a tomar relativamente à enurese.1,2,3

Muitos pais vão ao consultório médico devido a diversas patologias e não referem a enurese dos seus filhos. Por ser frequentemente considerada um “problema ou doença menor”, não recebe a atenção necessária, apesar de poder tornar-se um problema de saúde importante em crianças e adolescentes.1

A consulta com o médico é o primeiro passo para um plano terapêutico adequado para a tranquilidade familiar e uma vida normal para o seu filho.1

Na maioria das vezes, o médico fará um exame físico completo à criança, uma análise à urina e, talvez, uma ecografia abdominal.1

Se o médico considerar necessário, poderá solicitar exames mais específicos para estudar as vias urinárias e um estudo urodinâmico para estudar a micção da criança.1,4

Tratamento da enurese noturna1

Superar a enurese exige um esforço partilhado entre os pais, a criança e o médico. Acompanhar e orientar a criança no tratamento indicado pelo especialista é fundamental para o resolver atempadamente.

É importante saber que existem alternativas terapêuticas que, devidamente indicadas, permitem que estas crianças acordem com a “cama seca”.

5 – 6 anos > Idade de início do tratamento

A idade de início do tratamento é variável, mas é aconselhável a partir dos 5 a 6 anos, quando a prevalência da enurese noturna continua elevada (10 a 20%). Em geral, é mesmo a criança que o pede de formas diferentes, mas geralmente relaciona-se com o início da escolaridade e a sua maior exposição social.

É fundamental verificar e, se necessário, modificar os hábitos comportamentais da criança. Embora estas alterações não resolvam por si só os episódios de enurese, reduzem significativamente a quantidade de urina noturna na bexiga.

Hábitos

Definir um horário miccional: o mais adequado é que a criança urine cerca de 6 ou mais vezes por dia (pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche, jantar e ao deitar):4,5

  • A criança deve realizar uma ingestão frequente e distribuída de líquidos ao longo do dia. Deve beber mais durante a manhã, menos durante a tarde, pouco à noite e nada antes de se deitar.6
  • Deve evitar jantares muito abundantes, saladas e com muitos líquidos. Não deve ingerir mais de 200 ml de líquido (sopa, água, leite, sumo, iogurte, etc.) durante o jantar.6
  • Em geral, a criança não deve permanecer mais de 10 horas a dormir sem esvaziar a bexiga.6
  • A criança deve preencher um “calendário miccional” para registar as noites secas e molhadas. Tal permite acompanhar os seus progressos, ou a falta dos mesmos, e ajuda o médico a acompanhar a evolução da criança, depois de definido o tratamento.6

Alternativas de tratamento:1,4,7

Existem opções de tratamento válidas quando a enurese persiste na idade escolar: medicação para reduzir a produção excessiva de urina à noite (desmopressina) oou medicação para aumentar a capacidade vesical e reduzir a contratilidade excessiva (oxibutinina) e alarmes de enurese que, por si só ou em combinação com a medicação, ensinam a criança a reconhecer o momento em que se molha e a inibir a micção. Em todos os casos, é importante que o tratamento seja concluído de acordo com as instruções do médico para controlar este problema.

Desmopressina:1,4

Trata-se de uma hormona antidiurética que, administrada antes de deitar, reduz a produção de urina noturna e, desta forma, a criança não faz ou faz menos chichi na cama. Dado o seu efeito antidiurético, a única recomendação especial é a de não ingestão de líquidos desde o momento da toma da medicação até à manhã seguinte. É aconselhável iniciar o tratamento com um registo dos episódios de “cama molhada”, tanto em frequência quanto em volume aproximado.

Alarmes para a enurese:1,4,5

É um dispositivo sonoro colocado en la muñeca o en la ropa mediante un sistema de sujeción y un sensor de humedad colocado no pulso ou no vestuário através de um sistema de fixação e um sensor de humidade colocado na roupa interior. Quando a criança urina, molha-se e o alarme soa. O procedimento visa desenvolver um reflexo condicionado que lhe permita acordar para urinar na casa de banho e não na cama.

Oxibutinina:1,4

É o fármaco anticolinérgico mais geralmente utilizado. Normalmente, é utilizado em casos de hiperatividade vesical, quando a bexiga se contrai repentina e involuntariamente, provocando urgência urinária e perda de urina durante o dia e a noite.

Registo de noites húmidas e calendário miccional:1,9

É aconselhável iniciar o tratamento com um registo dos episódios de “cama molhada”, tanto em frequência quanto em volume aproximado.

Com o “calendário miccional de enurese” ou o “calendário de noites molhadas”, o médico pode detetar facilmente os dias secos ou molhados. Uma visão rápida do registo de episódios permite ver os progressos, ou a falta deles, e mostrar claramente à criança e à família quando e por que razão deve ser realizada uma alteração no tratamento (dose, horários, alimentação, etc.).

IMPRIMIR CALENDÁRIO MICCIONAL

 

 

 

Referências:

1. Taborga Díaz E, et al. Manejo y diagnóstico terapéutico de la enuresis infantil. Madrid: SEPEAP; 2014.
2. Úbeda Sansano M, et al. Guía de práctica clínica: Enuresis nocturna primaria monosintomática en Atención Primaria. Revista Pediatría de Atención Primaria 2005;7(Supl 3): 15-151.
3. Úbeda Sansano M, et al. Enuresis. Form Act Pediatr Aten Prim. 2011;4(4):226-36.
4. Fernández Fernández M, et al. Trastornos miccionales y enuresis en la infancia. Protoc diagn ter pediatr. 2014;1:119-34.
5. Miguélez Lago C, et al. Enuresis. Diagnóstico diferencial y tratamiento específico. Revista Española de Pediatría. 2012;68(4):240-255.
6. Monterno Hernández S, et al. Plan de cuidados estandarizado de enfermería para un niñ@ con enuresis. En: Asociación Española de Enfermería de Salud Mental. “Las enfermeras de salud mental y la exclusión social: hablando claro”. Madrid: 2015. 2545-2564.
7. Rodríguez Fernández L, et al. Diagnóstico y tratamiento de la enuresis nocturna. Asociación Española de Pediatría; 2008.