Enurese noturna, nem todas são iguais.

Quando falamos de enurese, molhar a cama ou fazer chichi na cama, pensamos que todas as fugas noturnas são iguais, mas os especialistas dizem-nos que existem diferentes tipos de enurese noturna.Enurese noturna, nem todas são iguais

Ajudamo-lo a distingui-las!

Os pediatras e urologistas classificam a enurese noturna como um problema muito mais frequente do que possa imaginar, conforme critérios diferentes.

 

Segundo o momento do aparecimento:

Assim, encontramos o que denominam enurese noturna primária, que é aquela em que “não existe um período prévio de secura”1. É sofrido por aquelas crianças com mais de 5 anos de idade que nunca permaneceram previamente secas durante a noite e que não apresentam alterações orgânicas, congénitas ou adquiridas que possam justificar as fugas.

A enurese noturna secundária é “enurese numa criança que permaneceu anteriormente seca durante a noite durante um período de, pelo menos, seis meses”2. Alguns autores falam mesmo de mais tempo, a partir do momento em que a criança tenha aprendido a controlar a bexiga.

 

 Segundo as afeções às quais se associa ou os sintomas que acompanham:

 Enurese noturna monossintomática, também denominada “sem complicações”, é uma condição em que “não existe uma sintomatologia diurna que sugira a existência de uma patologia nefrourológica”1.

Por outras palavras, não há nada na criança durante o dia que sugira que sofrerá de fugas noturnas.

A enurese noturna monossintomática não costuma receber a atenção que deveria. “A enurese noturna primária monossintomática continua a ser uma entidade frequentemente negligenciada pelo pediatra de cuidados primários. Portanto, não hesite em ir ao pediatra se o seu filho acordar molhado”.

A enurese noturna não monossintomática ou complicada ocorre “quando, além disso, a criança apresenta sintomas urinários diurnos (urgência miccional, aumento/diminuição da frequência urinária, perdas, fluxo urinário fraco, dor, etc.) sugerindo patologia nefrourológica, como bexiga hiperativa, micção descoordenada, etc.”3. Nestes casos, os médicos também falam de síndrome enurética e também aqui existe um problema durante o dia que pode justificar que a criança faça chichi na cama.

Nesta classificação, alguns especialistas incluem “a enurese associada a encoprese/obstipação ou obstrução das vias aéreas superiores”1.

Dado que “16% das crianças de 5 anos, 10% das crianças de 6 anos e 7,5% das crianças de 10 anos”1 fazem chichi na cama regularmente, consulte o seu pediatra para aconselhamento sobre como agir perante um caso de enurese. Assim, poderá detetar o problema do seu filho e implementar as medidas que considere necessárias para resolver o problema.

www.chichinacama.pt ajuda-o.


Tem mais perguntas sobre enurese noturna? Descubra mais na seção de perguntas frequentes.

 

Ref. 1. Taborga E, García VM. Manejor y diagnóstico terapéutico de la enuresis infantil. IMC, 2014. ISBN: 978-84-7867-264-6

Ref. 2.Rodríguez LM, Gracia S. Diagnóstico y tratamiento de la enuresis nocturna. AEP, 2008. Disponível em: https://www.aeped.es/sites/default/files/documentos/10_3.pdf Último acesso: fevereiro 2022.

Ref. 3. Yeung CK, Sit FK, To LK, Chiu HN, Sihoe JD, Lee E, et al. Reduction in nocturnal functional bladder capacity is a common factor in the pathogenesis of refractory nocturnal enuresis. BJU Int 2002; 90(3):302-7