Ano novo, vida nova. Consulte o seu pediatra e não deixe o seu filho passar mais um dia a sofrer de enurese noturna (molhar a cama)

Cada início de ano, fazemos resoluções que, por vezes, não conseguimos cumprir: ler mais, ir ao ginásio ou fazer dieta são alguns dos clássicos, mas existe uma resolução que não deve deixar de lado: se o seu filho tem mais de 5 anos e continua a fazer chichi na cama à noite, tem de consultar o seu pediatra.

 

Porque é que o meu filho molha a cama?

Os especialistas acreditam que, depois desta idade, já deveriam controlar os esfíncteres, pelo que não deveriam continuar a molhar a cama. A consulta com o pediatra permitirá uma avaliação personalizada para determinar a origem do problema: causas hereditárias, mau funcionamento da bexiga, infeções do sistema urinário, problemas com o acordar, hiperatividade vesical ou produção excessiva que obriga a urinar de forma muito frequente, obstipação, hipertrofia da musculatura vesical, problemas obstrutivos ou doenças associadas mais graves, tais como a diabetes, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) ou síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS)1,2, são as principais.

 

Criança Molhar a cama

Molhar a cama afeta o seu filho mais do que pensa

Em muitos casos, a enurese é considerada um “problema ou doença menor”, o que tem permitido que não se lhe preste a atenção necessária. Para os especialistas, pode ser um problema de saúde importante em crianças e adolescentes, muito mais do que o reconhecido pelos pediatras2.

Além disso, apresenta diversas consequências negativas para o seu filho às quais é necessário prestar atenção: ansiedade, interferência nas suas relações sociais – especialmente se quiser dormir fora de casa – perda de autoestima, repercussões na sua estabilidade emocional, baixo rendimento escolar, etc.; a família também se ressente nas suas relações sociais e na sua economia3.

Todos sabemos que as crianças, tanto pelas atividades escolares como pelas relações sociais, dormem frequentemente fora de casa e o facto de molharem a cama provoca nelas um sentimento de vergonha, de recusa em dar a conhecer o seu problema, o que as impede de participar de uma forma normal.

Está nas nossas mãos impedi-las de passar por isto sozinhas e com pouca atenção da nossa parte. Normalizar a enurese, falando com outros pais e dando ao problema a atenção que merece, ajudará a criança a não se sentir rejeitada.

Assim, se o seu filho tiver mais de 5 anos e continuar a fazer chichi na cama mais de 4 noites por mês4, fale com o seu pediatra para que faça um exame e diagnostique corretamente.


Você também pode estar interessado em Consequências emocionais da enurese.

Ref.1.  Lostal I. Enuresis Nocturna Primaria Infantil ¿Seguro que la manejamos bien?. 2015. IMC International Marketing & Communications, S.A.

Ref.2. Taborga E, García VM. Manejo y diagnóstico terapéutico de la Enuresis Infantil. 2014, SEPEAP. ISBN: 978-84-7867-264-6. https://www.sepeap.org/wp-content/uploads/2014/09/ENURESIS-INFANTIL.pdf. Último acesso dezembro de 2021.

Ref.3. Úbeda MJ. Guía de práctica clínica: enuresis nocturna primaria monosintomática en Atención Primaria. 1999. Dinarte, S.L. ISSN: 1139-7632. https://www.aepap.org/sites/default/files/documento/archivos-adjuntos/enuresis.pdf. Último acesso dezembro de 2021.

Ref.4. Rodríguez LM. Diagnóstico y tratamiento de la enuresis nocturna. 2008. Protocolos Diagnóstico Terapeúticos de la AEP: Nefrología Pediátrica. https://www.aeped.es/sites/default/files/documentos/10_3.pdf Último acesso dezembro de 2021.