Mitos sobre a enurese

Numa sociedade de excesso de informação como aquela em que vivemos, onde, nas redes sociais, registam-se comentários de todo o tipo de fontes, é importante parar um minuto para analisar se aquilo que lemos, vemos ou ouvimos provém de uma fonte fiável e de um especialista no assunto.Mitos sobre a enureseMitos sobre a enureseMitos sobre a enurese

A informação sobre saúde é particularmente sensível, pelo que é importante ser orientado por especialistas e não recorrer a conselhos de conhecidos, amigos ou pessoas relevantes não especialistas que, embora possam ter boas intenções, poderão confundir.Mitos sobre a enurese

Em relação à enurese, molhar a cama à noite, circulam uma série de ideias preconcebidas e mitos que podem, até certo ponto, afastar-nos das recomendações dos especialistas. Gostaríamos de mencionar alguns deles:

As crianças fazem chichi na cama por preguiça ou descuido: falso

Muitas pessoas tendem a acreditar que as crianças fazem chichi na cama porque têm preguiça de se levantarem. A enurese deve-se principalmente a problemas físicos tais como “um aumento da produção de urina durante a noite (por ausência da elevação da hormona antidiurética – ADH – resultando em poliúria noturna) e uma função vesical anormal (capacidade vesical reduzida, hiperatividade vesical), associadas a uma falha no mecanismo de despertar perante o estímulo vesical”.

Além dos fatores fisiopatológicos geralmente aceites, os especialistas descrevem outros fatores associados, alguns amplamente estudados, tais como “a predisposição genética, os fatores psicossociais, os fatores ambientais e outros fatores patológicos: obstipação, encoprese, patologia obstrutiva das vias respiratórias superiores, etc.”1.

Por conseguinte, as crianças não devem ser repreendidas se tiverem uma fuga noturna, dado que não a conseguem controlar.

A enurese não afeta o sono: falso

O sono dos enuréticos é afetado. As crianças que fazem chichi na cama regularmente acordam com maior frequência do que as crianças que não sofrem de enurese, o que afeta diretamente o seu rendimento no dia seguinte. De acordo com os autores do Guia “5 preguntas frecuentes na enurese infantil”, o sono das crianças é perturbado pela enurese, pelo que “a perturbação do sono em crianças enuréticas é praticamente constante. Caracteriza-se por um elevado limiar de ativação. Além disso, o sono é fragmentado, de modo que as crianças apresentam um elevado número de despertares noturnos e demoram mais tempo a adormecer, o que favorece a elevação do limiar de despertar”2.

A grande maioria das crianças que molham a cama fazem-no por causa de um problema psicológico: falso

“Não é um distúrbio psicológico, mas é frequentemente provocado por um aumento noturno da produção de urina, dificuldade em acordar à noite ou capacidade reduzida da bexiga”3-5.

É verdade que a enurese está, por vezes, associada a problemas tais como “baixo estatuto socioeconómico, problemas conjugais, morte de um dos progenitores, nascimento de um irmão, início ou recusa escolar, abuso sexual, hospitalização, etc.”1, mas, na maioria dos casos, deve-se a causas físicas ou orgânicas.

Fazer chichi na cama não afeta as crianças porque não lhe atribuem importância: falso

Molhar a cama tem consequências importantes para as crianças e suas famílias, “realmente pode chegar a ser um problema de saúde importante em crianças e adolescentes, muito mais do que é reconhecido pelos pediatras” e está “relacionado com situações de ansiedade crónica, problemas de autoestima e atrasos na esfera social”1.

Embora, como adultos, possamos pensar que não está a afetar as crianças, é algo que não devemos deixar passar, uma vez que influencia mais as suas vidas do que podemos imaginar.

Só tem de deixar passar o tempo, a enurese cura-se com a idade: falso

Embora seja verdade que, em alguns casos, se resolva por si mesma, nem sempre é assim e nem todas as crianças deixam fazer chichi na cama espontaneamente, nem no momento adequado das suas vidas. De facto, uma percentagem delas continuará a sofrer na adolescência e na juventude e, inclusivamente, na idade adulta.

A enurese “afeta 16% das crianças de 5 anos, 10% das crianças de 6 anos e 7,5% das crianças de 10 anos. Quando se faz um acompanhamento a longo prazo dos sujeitos enuréticos, a resolução espontânea é observada com uma frequência aproximada de 15% anual, apesar de, após os 15 anos de idade, o problema ainda persistir em 1 a 3% da população”1.

Portanto, se o seu filho ainda continua a molhar a cama depois dos 5 anos, é importante consultar o seu pediatra.


Você tem mais dúvidas sobre enurese? Saiba mais na seção de perguntas frequentes.

E se precisar de mais informações sobre enurese noturna e como ajudar seu filho, não hesite em visitar nosso site e se manter informado!

Ref. 1 https://www.sepeap.org/wp-content/uploads/2014/09/ENURESIS-INFANTIL.pdf (último acceso: junio 2021).

Ref. 2 https://sepeap.org/wp-content/uploads/2019/10/5-pregunta_enuresis_6.pdf

Ref. 3 Vande Walle J et al. Practical consensus guidelines for the management of enuresis. Eur J Pediatr 2012;171(6):971-983

Ref. 4 Vande Walle J et al. Erratum to: Practical consensus guidelines for the management of enuresis. Eur J Pediatr 2013;172(2):285

Ref. 5 Vande Walle J et al. Erratum to: Practical consensus guidelines for the management of enuresis. Eur J Pediatr 2012;171(6):1005

Ref.6 Kiddoo DA. Nocturnal enuresis. CMAJ 2012; 184(8):908-11.